CEA ou CNPI? Conheça as diferenças entre as certificações

CEA ou CNPI

Você já esteve em dúvida entre as certificações CEA ou CNPI? As duas oferecem especialização para os profissionais do mercado financeiro na área de investimentos. Enquanto a primeira abre as portas para especialistas em investimentos, a segunda habilita analistas de investimentos. 

Em um primeiro olhar, as duas capacitações parecem similares. E são! Mas também são diferentes. Afinal, cada uma tem as suas particularidades a fim de atender às demandas do mercado de trabalho. Por isso, a escolha depende muito da trilha que você deseja seguir, bem como os objetivos para acelerar a sua carreira.

Neste artigo, vamos conhecer melhor o papel de cada certificação e apresentar as principais diferenças entre elas. Quer saber mais para escolher a certa para você? Acompanhe!

O que é a certificação CEA?

A Certificação de Especialista em Investimentos Anbima (CEA) é a qualificação indicada para quem quer aprofundar seus conhecimentos sobre investimentos. Além de possibilitar a consultoria autônoma, ela abre portas para os profissionais em carreira bancária

Ao unir o conteúdo das certificações CPA-10 e  CPA-20, a CEA é uma especialização máxima em investimentos, além de ser pré-requisito para cargos de gerência em bancos, autarquias e órgãos públicos. Então, se você busca uma promoção dentro de uma dessas instituições financeiras, estudar para a CEA é parada obrigatória em sua trilha profissional. 

Com ela, você pode assessorar gerentes de contas de clientes pessoa física e indicar investimentos. O exame é aplicado pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). 

O que você deve saber para se preparar?

Para fazer parte do grupo composto por 24.143 profissionais certificados CEA, você precisa passar no exame. Os números são da Anbima, com atualização em junho deste ano. O conteúdo é distribuído em 70 questões, que abordam os seguintes temas: 

  • Sistema Financeiro Nacional e Participantes no Mercado;
  • Princípios Básicos de Economia e Finanças;
  • Instrumentos de Renda Fixa, Renda Variável e Derivativos;
  • Fundos de Investimento;
  • Produtos de Previdência Complementar;
  • Gestão de Carteiras e Riscos;
  • Planejamento de Investimento.

Com duração de 3h30min, você precisa acertar 49 questões para alcançar o índice mínimo de aprovação (70%). A taxa de inscrição varia entre R$520 (profissionais de empresas associadas à Anbima) e R$630 (demais profissionais). 

Não há pré-requisito para conseguir a certificação, como nível de escolaridade ou experiência no mercado financeiro. Porém, se você almeja um cargo de gerência, pode precisar ir além da CEA. Além disso, o selo tem validade máxima de cinco anos a fim de acompanhar as mudanças do mercado financeiro. Quando esse prazo expirar, é preciso buscar atualização.

O que é a certificação CNPI?

O Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI) é obrigatório para quem quer atuar de acordo com a Instrução CVM 483/2010 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O selo habilita o analista de investimentos a avaliar e propor investimentos, recomendar valores mobiliários (ações, debêntures e derivativos) e publicar relatórios realizados. 

Com ele, você pode assessorar gerentes de contas de clientes pessoa física e indicar investimentos. O exame é aplicado pela Apimec — que integra o conselho da Association of Certified International Investment Analysts (ACIIA). A fim de elevar a capacitação dos profissionais do mercado financeiro, o CNPI é dividido em três categorias.

Analista Fundamentalista – CNPI

O Analista Fundamentalista é o profissional que define os valores de um título após avaliar o histórico das indústrias e até a própria economia. Ele também é capaz de reconhecer as características de diferentes ativos financeiros. Para seguir essa especialização, você precisa da aprovação nos exames CB e CG1. 

Analista Técnico – CNPI-T

O Analista Técnico, por sua vez, indica o tipo de investimento ideal para cada perfil de investidor, além de apresentar os riscos envolvidos. Esse profissional também reconhece oportunidades a partir da leitura de padrões gráficos. Para atuar na área, você deve estudar e passar nos exames CB e no CT1. 

Analista Pleno – CNPI-P

A formação na categoria Analista Pleno é uma junção dos conhecimentos fundamentalistas e técnicos. Para isso, você precisa conquistar a aprovação nos três tipos de exame: CB, CG1 e CT1. Por unir habilidades das duas categorias, é o preparo mais completo dentro da certificação CNPI.

O que você deve saber para se preparar?

Para entrar no seleto grupo formado por 1.270 profissionais certificados CNPI, você deve se preparar para os exames da Apimec: CB para Conteúdo Brasileiro, CG1 para Conteúdo Global e CT1 para Conteúdo Técnico. Os números são da Apimec, com atualização em setembro deste ano. Independentemente do tipo de conteúdo, cada prova tem 60 questões, que abordam os seguintes temas: 

Conteúdo Brasileiro (CB) | Análise Fundamentalista, Técnica e Plena

Sistema Financeiro Nacional
Mercado de Capitais, Renda Fixa e Derivativos
Conceitos Econômicos
Conduta e Relacionamento
Governança Corporativa
Relações com Investidores e Sustentabilidade

Conteúdo Global (CG1) | Análise Fundamentalista

Análise e Avaliação de Ações e Finanças Corporativas
Contabilidade Financeira e Análise de Relatórios Financeiros

Conteúdo Técnico (CT1) | Análise Técnica

Fundamentos de Análise Técnica
Teoria de Dow e das Ondas de Elliott
Conceito de Tendência
Figuras Gráficas
Padrões de Candlestick
Indicadores
Gerenciamento de Risco
Estratégias Operacionais
Trading Systems

Seja qual for o formato, a prova tem duração de 2 horas e demanda pelo menos 42 acertos (70%) para a aprovação. A taxa de inscrição varia entre R$457 e R$571 (associados Apimec) e R$610 e R$762 (não associados). 

Diferente da CEA, ter formação acadêmica em qualquer área, inclusive tecnólogo, é pré-requisito antes de se inscrever. A validade tem o mesmo tempo — até cinco anos a partir do pedido de credenciamento — e vale para todas as categorias.

Como diferenciar entre CNPI ou CEA?

Então, CNPI ou CEA? CEA ou CNPI? Antes de escolher a certificação certa para você, é preciso entender bem as diferenças entre elas. Afinal, as duas capacitam os profissionais do mercado financeiro para a indicação de investimentos. Para isso, vamos avaliar a especialização de cada uma, bem como as áreas de atuação. 

Especialista em investimentos | CEA

O especialista em investimentos é o profissional habilitado pela Anbima por meio da certificação CEA. Pode indicar ativos financeiros para clientes de vários segmentos de forma individualizada e exclusiva, além de assessorar gerentes de contas de pessoa física. Devido à sua abrangência, que une os conhecimentos da CPA-10 e CPA-20, alguns bancos exigem o selo para cargos gerenciais. 

Também pode prestar consultorias personalizadas, inclusive de forma autônoma, para os segmentos do varejo de alta renda, private banking, corporate e investidores institucionais.

De acordo com o Glassdoor, a média salarial inicial para um especialista de investimentos no Brasil é de R$6.395. Esse valor pode variar dependendo da empresa, cargo e função desempenhada. 

Outro detalhe importante é que para poder indicar investimentos, a pessoa que tirar a certificação CEA precisará se habilitar como Consultor de Valores Mobiliários na CVM. 

Analista de investimentos | CNPI

O analista de investimentos é o profissional habilitado pela Apimec por meio da certificação CNPI para oferecer suporte aos investidores. Seu papel é realizar projeções — recomendações de compra, venda ou manutenção de ativoscom base nas oscilações do mercado e condições da economia. 

Graças ao conteúdo robusto, o selo é bastante versátil e proporciona oportunidades em diversos setores: consultoria de valores mobiliários, finanças corporativas e relacionamento com investidores, investment banking, vendas e operações no Mercado de Capitais, além da administração de recursos e de riquezas.

Segundo o Vagas, a média salarial inicial para um analista de investimentos no Brasil é equivalente a R$5.280, com uma variação de até R$8.023, porém esse valor pode chegar a R$33 mil caso esteja certificado como CNPI.

Diferente do CEA, o CNPI pode recomendar investimentos para um público geral e emitir relatórios não-exclusivos.

CNPI ou CEA, CEA ou CNPI

Tendo em vista tudo o que vimos até aqui, a CNPI traz uma particularidade em relação à CEA. Ela é mais ampla e tem um conteúdo mais robusto, o que permite que você faça indicações de investimentos de forma pública. Isto é, por meio de um relatório de investimentos ou uma web conferência, por exemplo.

No caso da CEA, essas indicações ocorrem de forma individual — por e-mail, telefone e conversas presenciais. Vale lembrar que para isso é preciso ter um registro como consultor de valores mobiliários. Também é importante destacar que, na prática, a Certificação de Especialista em Investimentos Anbima é a mais utilizada entre os profissionais certificados que atuam na área de consultoria. 

O selo funciona como uma porta de entrada, já que tem um exame relativamente mais fácil — devido ao conteúdo ser menos extenso — em comparação à prova para a Certificação Nacional do Profissional de Investimento. A CEA também abre portas para quem quer conquistar uma vaga ou uma promoção como gerente de banco.

Já a CNPI é mais indicada para os analistas de investimentos. Por fim, a CEA é aplicada pela Anbima e não exige pré-requisitos para se certificar, a não ser que você queira atuar como consultor de valores mobiliários. Já a CNPI é um certificado emitido pela Apimec e pede ensino superior completo antes de prestar o exame.

Qual é a melhor certificação?

Se você busca a melhor certificação, seja CEA ou CNPI, uma não se sobressai em relação à outra. O que isso significa? Ambas se complementam. A CEA tem um foco maior voltado para vendas e pode impulsionar a carreira bancária. A CNPI enfatiza o campo de análise e pesquisa a fim de ajudar na tomada de decisão dos investidores. Então, a escolha depende de qual delas se encaixa de forma mais relevante nos seus objetivos profissionais. 

Ficou mais fácil escolher? Agora o próximo passo é começar a estudar para passar no exame. Conheça os cursos preparatórios da Pro Educacional e acelere sua carreira!

Ainda não há comentários! Você será o primeiro a comentar.

Deixe suas dúvidas e comentários. Responderemos o mais breve possível.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *