CGA ou CEA: em qual especialização de investimentos apostar?

cga ou cea

CGA ou CEA? As duas certificações da Anbima, certamente, já deixaram muitos profissionais do mercado financeiro em dúvida. Afinal, ambas oferecem qualificação com foco na área de investimentos e abrem portas para cargos gerenciais em bancos e gestoras. Enquanto a CGA é uma das mais requisitadas, a CEA é vista como uma especialização para gerentes de bancos.

Inclusive, aqui no blog já trouxemos um artigo questionando sobre seguir para a CGA direto ou investir na CEA antes. Dessa vez, vamos nos aprofundar um pouco mais no conhecimento e nas áreas de atuação de cada selo. Assim, fica mais fácil para você tomar uma decisão assertiva e alinhada aos seus objetivos de carreira

Portanto, neste artigo, vamos mergulhar nas certificações CGA e CEA — o que certificam, o que saber para o exame e onde atuar. Tudo pronto para começar? Boa leitura!

O que é a certificação CGA?

A Certificação de Gestores Anbima (CGA) carrega uma reputação e tanto entre os profissionais que trabalham com gestoras de investimentos. Não é para menos, já que ela geralmente é a porta de entrada para uma promoção. Quem cogitou ou cogita um cargo de gestão para atuar com fundos de investimentos deve ter se deparado com o selo.

Seu foco é na gestão de recursos de terceiros, o que inclui renda fixa, ações, cambiais e multimercados, carteiras administradas e fundos de índice. Mas antes de ponderar sobre investir na CGA, saiba que a Certificação de Fundamentos em Gestão (CFG) é pré-requisito para conquistá-la. 

O que você deve saber para o exame da CGA?

Desde 2021, passar no exame da CFG se tornou pré-requisito antes de ir atrás da certificação CGA. No mesmo ano, outra especialização foi criada: a Certificação de Gestores Anbima para Fundos Estruturados (CGE). Essa não é obrigatória para quem busca a CGA. 

Então, sua trilha começa com a CFG. Após a aprovação, você pode escolher entre CGA e CGE. A primeira é para quem deseja administrar fundos de investimentos tradicionais, enquanto a segunda foca na gestão de fundos estruturados. 

De acordo com a Anbima, os números mais recentes (setembro de 2022) indicam que há 5.478 profissionais certificados CGA, 6.062 CFG e 5.118 CGE. O exame para a Certificação de Gestores Anbima tem 45 questões, que abordam seis áreas de conhecimento:

Gestão de Risco
Investimentos no Exterior
Gestão de Carteiras — Renda Fixa
Gestão de Carteiras — Renda Variável
Avaliação de Desempenho
Legislação, Regulação e Tributação

O número mínimo de acertos é 31, o equivalente a 70% da prova, que tem duração de 2h30min. Para se inscrever, a taxa é R$550 (profissionais de empresas associadas à Anbima) e R$650 (demais profissionais). 

Em tese, o único pré-requisito é passar no exame da certificação CFG (essa etapa é dispensada se você tiver a CCFA ou a CAIA). Porém, a CGA é para quer assumir cargos de gestão para administrar fundos de investimentos. Então, um diploma do ensino superior ou pós pode pesar na hora da escolha. Além disso, fique de olho na validade do seu selo. Se estiver fora da área de atuação, o prazo é de três anos.

O que fazem os profissionais certificados CGA?

Quem conquista a certificação CGA se torna um gestor de investimentos. Seu papel é recomendar a compra e venda de ativos, alocação e distribuição de recursos, além de exercer o poder de voto sobre a gestão dos fundos. Seu objetivo é garantir a melhor rentabilidade, reduzindo os riscos envolvidos e diversificando o portfólio.

Para oferecer indicações personalizadas, o profissional deve avaliar o perfil e as metas financeiras de cada um dos seus clientes. O gestor de investimentos participa diretamente da tomada de decisão. Por isso, ele estuda o mercado financeiro, identifica tendências e avalia relatórios dos analistas de investimentos. 

A remuneração desse profissional varia bastante, como por exemplo essa notícia da Exame que afirma que alguns gestores chegam a ganhar R$25 milhões/ano. Porém, pela escassez do profissional e pelo resultado que ele pode alcançar, começar com um salário de R$10 mil não é de grandes dificuldades e lembrando que esse profissional possui um salário ilimitado, podendo chegar a ganhar bastante dinheiro dependendo do desempenho.

O que é a certificação CEA?

A Certificação de Especialista em Investimentos Anbima (CEA) não fica para trás em reputação. Assim como a CGA, ela está na mira dos profissionais que querem se especializar na área de investimentos. A diferença é que a CEA pode servir como porta de entrada para a carreira bancária, além de possibilitar a consultoria autônoma.

Seu foco também é na distribuição de ativos financeiros para quem é cliente de bancos, mas na forma de assessoria aos gerentes de contas. Vale destacar que a CEA é vista como uma especialização, unindo o conhecimento de outras duas certificações da Anbima — CPA-10 e CPA-20.

O que você deve saber para o exame da CEA?

Conforme os números mais recentes da Anbima (setembro de 2022), há 25.640 profissionais certificados CEA no Brasil. Para fazer parte do grupo, você precisa passar no exame, que conta com 70 questões sobre sete áreas de conhecimento:

Fundos de Investimento
Gestão de Carteiras e Riscos
Instrumentos de Renda Fixa, Renda Variável e Derivativos
Planejamento de Investimento
Princípios Básicos de Economia e Finanças
Produtos de Previdência Complementar
Sistema Financeiro Nacional e Participantes no Mercado

O índice mínimo de acertos para a aprovação é de 49 questões, o que corresponde a 70% da prova com duração de 3h30min. A taxa para se inscrever é de R$520 (profissionais de empresas associadas à Anbima) e R$630 (demais profissionais). 

Não há pré-requisito para a certificação, além de passar no exame. No entanto, para quem almeja um cargo de gerência, vale a pena buscar todo o conhecimento possível. A CEA tem validade de cinco anos. Após esse prazo expirar, é preciso buscar atualização com a Anbima para manter seu preparo em dia com o mercado financeiro.

O que fazem os profissionais certificados CEA?

Quem conquista a certificação CEA se torna um especialista em investimentos. Seu papel é assessorar gerentes de contas na indicação de ativos financeiros para clientes (pessoa física) de diversos segmentos. Em outras palavras, atua como um consultor, podendo inclusive prestar consultoria autônoma e personalizada a agências ou clientes diretos.

No caso de consultoria, os profissionais podem atender os segmentos do varejo alta renda, private banking, corporate e investidores institucionais. Além disso, a CEA abre o caminho para cargos de gerência em bancos. 

Conforme o Glassdoor, a média salarial inicial é de R$6.395. Esse valor muda dependendo da instituição financeira, região onde mora, cargo e desempenho.  

CGA ou CEA: em qual especialização investir? 

CGA ou CEA? CEA ou CGA? Eis a questão! Se você chegou até aqui, já é possível perceber as diferenças entre as duas certificações e encontrar a resposta que procura. De qualquer forma, vamos sumarizar os dois selos para não deixar dúvidas.  

Tanto CGA quanto CEA são certificações da Anbima. Ambas oferecem capacitação para quem deseja trabalhar com investimentos. Além disso, as duas podem ajudar você a trilhar o caminho até um cargo de gestão em instituições financeiras. Apesar das similaridades, são as diferenças entre elas que guiarão a sua escolha. Então, vamos recapitular.

Os dois também podem recomendar compra e venda de ativos, desde que tenham ensino superior e cadastre-se como Consultor de Valores Mobiliários.

A CGA é a especialização em gestão de fundos de investimentos, indicada para quem quer se tornar gestor de investimentos. Já a CEA transforma os profissionais certificados em especialistas em investimentos. 

Enquanto o gestor faz a gestão de investimentos, seja carteira administrada ou fundo de investimentos, o especialista atua como assessor dos gerentes de contas. Ele também pode oferecer consultorias personalizadas de forma autônoma. Aliás, vale destacar que a CEA é a mais utilizada por quem atua na área de consultoria, porém é necessário registrar como Consultor de Valores Mobiliários.

Para conquistar a Certificação de Gestores Anbima, o pré-requisito é ter a CFG (CFA ou CAIA). No caso da Certificação de Especialista em Investimentos Anbima, não há qualquer obrigatoriedade. Porém, como as duas podem levar a cargos gerenciais, ter um diploma do ensino superior ou experiência na área é recomendado.

Qual é a melhor certificação?

A maior diferença entre CEA e CGA aparece na área de atuação de cada profissional. Enquanto a primeira foca na venda de produtos financeiros, a segunda segue a trilha da gestão de recursos. Assim sendo, a melhor certificação depende de qual das áreas reflete suas metas de carreira.

Você também pode avaliar como são as funções de cada cargo na prática ao conversar com profissionais que já atuam na área. Pode levar em conta a média salarial de cada um, bem como o grau de dificuldade dos exames.

E então, CGA ou CEA? Visualize qual das áreas melhor atende o que você quer construir para o seu futuro e analise seu momento profissional. Em alguns casos, a CEA pode ser a melhor opção, uma vez que não exige experiência na área, nem pré-requisito para fazer a prova. Se você já está no mercado, quer crescer e ocupar um cargo de gestão, a CGA pode ser o melhor caminho.

Depois da escolha, o próximo passo é se preparar para colocar seus conhecimentos em prática e conquistar a certificação. Conheça os cursos preparatórios da Pro Educacional e dê o impulso que falta na sua carreira!

Ainda não há comentários! Você será o primeiro a comentar.

Deixe suas dúvidas e comentários. Responderemos o mais breve possível.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *