6 Etapas do processo de planejamento financeiro, etapas 1 até 3

Progresso das Aulas

O candidato deverá demonstrar ser capaz de constituir uma base profissional com o cliente, determinando o formato de remuneração, coletando os dados indispensáveis para a avaliação da situação corrente do cliente, bem como deve desenvolver e propor um plano financeiro pessoal, implementar o plano aprovado pelo cliente, e lhe monitorar, fazendo os ajustes (quando necessário).

 

Inicialmente, alguns fundamentos básicos para qualquer processo de planejamento:

  • Sabe-se que tática refere-se a metas de curto-prazo e/ou de médio-prazo.
  • Já, estratégia refere-se a objetivos situados, em geral, no longo-prazo.
  • Assim, objetivos são os resultados que são desejados e buscados.
  • Então, para a efetivação de uma estratégia necessita-se de várias táticas que, ordenadamente, sucedem-se ao longo do tempo.
  • Portanto, estratégia pode ser compreendida simplesmente como a elaboração de um plano qualquer.
  • Ou seja, estratégia é uma ferramenta de planejamento.
  • Enquanto, tática designa a uma medida da estratégia.
  • Logo, tática é uma ferramenta de execução.
  • Tal que, pode-se fazer a implementação de medidas, isto é, de um conjunto de táticas (quantificáveis) ao longo do tempo, para se realizar uma estratégia definida.

A definição de uma estratégia é essencial, pois serve como um guia. Ou seja, a partir do diagnóstico de uma posição atual, ela permite (através da efetivação de um plano de ação) atingir uma posição futura (objetivada).

Em particular, no planejamento financeiro pessoal quando se parte do diagnóstico e reconhecimento da situação financeira corrente do cliente, para a inserção de um conjunto de medidas táticas em um plano-estratégico-financeiro pessoal. Por sua vez, em ação, num plano financeiro, pode permitir alcançar objetivos de vida do cliente, por exemplo, os de aumento do nível renda e de acúmulo de riquezas.

No entanto, em um plano financeiro, um objetivo de longo-prazo, qualquer, se sujeita às influências de fatores exógenos, como, por exemplo, de eventos imprevistos, de não linearidades, e de outras incertezas; ao longo do tempo.

Um plano financeiro pessoal consiste na formulação de uma estratégia – ou de um conjunto de estratégias – para gerenciar o planejamento financeiro; o planejamento dos investimentos, o planejamento sobre os riscos, o planejamento de seguros, o planejamento da aposentadoria, o planejamento tributário, e, o planejamento sucessório; de um cliente. Por sua vez, para atingir os objetivos subjacentes de vida do cliente. Tal que, a quantidade e especificidades das estratégias, a serem empregues, no plano financeiro pessoal de ação, depende das necessidades e perspectivas exclusivas do cliente (individualmente).

As seis etapas do processo de planejamento financeiro

 

  1. Estabelecer e definir a relação com o cliente,
  2. Coletar informações sobre o cliente,
  3. Analisar e avaliar a situação financeira corrente do cliente,
  4. Elaborar e apresentar recomendações de planejamento financeiro ao cliente,
  5. Implementação das recomendações de planejamento financeiro,
  6. Monitoramento da situação do cliente.

Para apresentar as seis etapas do processo de planejamento financeiro. Inicialmente, trazemos uma tabela com um quadro-resumo das seis etapas do processo de planejamento financeiro em termos de melhores práticas relacionadas. Após isso, trazemos uma descrição de cada uma das seis etapas do processo de Planejamento Financeiro, conforme as Melhores Práticas (de a Planejar: www.planejar.org.br), em seis subseções.

Tabela: As seis etapas do processo de planejamento financeiro

Processo de Planejamento Melhores práticas relacionadas (do candidato em potencial)
1 – Estabelecer e definir o relacionamento com o cliente: – Conhecer o processo e informar adequadamente o cliente a respeito do mesmo, e delimitar o escopo de sua atuação em razão de suas competências profissionais.                                                                                                               – Conhecer as formas de remuneração aceitas e praticadas, buscado um modelo aceitável para ambas as partes, para estabelecer uma relação profissional transparente e adequada com o cliente.                                                                                          – Conhecer os direitos e responsabilidades do planejador financeiro, do cliente e de outros assessores envolvidos na elaboração do plano financeiro pessoal.
2 – Coletar as informações do cliente:

(Informações necessárias para elaboração de um plano financeiro (gestão financeira, gestão de investimentos, gestão de risco e seguros, planejamento da aposentadoria, planejamento fiscal e sucessório)).

– Identificar os objetivos pessoais e financeiros do cliente, suas necessidades e prioridades (objetivos de acumulação de capital, tais como geração de renda, aposentadoria, entre outros).                                                                     – Coletar dados e processar informações qualitativas (perfil psicológico, disposição a assumir riscos e propensões) e restrições específicas, visando à análise adequada do perfil do investidor (suitability), e sua capacidade de suportar perdas.                                                                                                       – Coletar dados e processar informações quantitativas e documentos, visando à análise adequada.                                                                                   – Coletar dados e processar informações de situações específicas, tais como: divórcio, invalidez, doença terminal, filhos com necessidades especiais, entre outras, visando à análise adequada.
3 – Analisar e avaliar a situação financeira do cliente:

(Análise dos objetivos, necessidades, valores e informações do cliente).

 

 

– Analisar as informações do cliente e determinar sua capacidade de correr riscos.                                                            – Avaliar os objetivos, necessidades e prioridades do cliente. Avaliar compatibilidade entre objetivos x riscos x situação patrimonial.                                                                                       – Analisar o perfil do cliente (suitability): identificar o perfil de risco do cliente e, em função de seus objetivos, horizonte de investimento e expectativas de retorno, avaliar todas essas informações para formular uma estratégia adequada de investimentos.                                                                                     – Analisar e avaliar os tipos de risco aos quais o cliente está exposto (vida, patrimônio, renda, acidentes pessoais, saúde, aposentadoria, responsabilidade civil, etc.).
4 – Desenvolver e apresentar as recomendações de planejamento financeiro ao cliente: – Determinar e propor uma política de investimentos (Investment Portfolio Statement-IPS) em função de sua situação financeira, estágio de vida, perfil psicológico (suitability), objetivos e restrições.                                                                         – Identificar, avaliar e apresentar estratégias e recomendações de planejamento financeiro.
5 – Implementar as recomendações de planejamento financeiro do cliente: – Obter aprovação sobre as responsabilidades na implementação do plano financeiro pessoal.                                            – Identificar e apresentar os produtos e serviços adequados para implementação do plano financeiro aprovado pelo cliente.
6 – Revisar a situação do cliente: – Revisar e reavaliar periodicamente o plano financeiro propondo e implementado, se for o caso, os ajustes necessários.                                                                                                           – Obter aprovação sobre estratégias necessárias para implementar os ajustes propostos.

Fonte: Planejar – com alterações – (Disponível em: https://www.planejar.org.br).

Para as melhores práticas de planejamento financeiro, os padrões de desempenho definidos pela Planejar:

  • Estabelecem o nível de prática esperada de um profissional de planejamento financeiro envolvido na entrega de um planejamento financeiro;
  • Estabelecem normas para a prática profissional que resultam na entrega consistente de planejamento financeiro por profissionais de planejamento financeiro;
  • Esclarecem as funções e responsabilidades dos profissionais de planejamento financeiro e de seus clientes no compromisso de um planejamento financeiro; e
  • Ampliam a percepção de valor do processo de planejamento financeiro.

O formato das melhores práticas de planejamento financeiro conforme a Planejar:

  • Cada prática se relaciona a um elemento do processo de planejamento financeiro.
  • A orientação é seguida do detalhamento do propósito desse padrão de atuação, baseado no princípio de razoabilidade.
  • O detalhamento não tem a intenção de estabelecer um padrão profissional ou um dever no seu conteúdo, pois este está definido nas melhores práticas.

A aplicabilidade das melhores práticas de planejamento financeiro conforme a Planejar:

  • Um profissional de planejamento financeiro deve sempre considerar todos os aspectos da situação financeira do cliente na formulação de estratégias e elaboração de recomendações, de maneira a seguir as Melhores Práticas, lembrando que se aplicam a cada situação em particular.
  • Algumas dessas práticas se aplicam tanto ao planejamento financeiro completo quanto à prestação de serviço de apenas um dos componentes de planejamento financeiro (isto é, Planejamento Financeiro, Gestão de Ativos e Investimentos, Gestão de Riscos e Seguros, Planejamento da Aposentadoria, Planejamento Tributário, Planejamento Sucessório).
  • A Prática um se refere ao estabelecimento e definição do relacionamento com o cliente, sendo aplicável sempre que um profissional presta serviço, parcial ou completo, de planejamento financeiro a um cliente.
  • Dessa forma, são estabelecidas expectativas claras e adequadas ao cliente e ao profissional de planejamento financeiro.
  • As Práticas de dois a seis aplicam-se na medida em que forem relevantes para a contratação do planejamento financeiro (o escopo do contrato de prestação de serviço determinará a aplicabilidade dos padrões).

Fonte (O documento em análise está disponível em): www.planejar.org.br.

A descrição (com alterações) de cada uma das seis etapas do planejamento financeiro em termos das Melhores Práticas de Planejamento Financeiro (O documento em análise está disponível em www.planejar.org.br e, também, em algumas partes de:  https://www.fpsb.org/about-financial-planning/financial-planning-process/):

1.2.1 Estabelecer e definir o relacionamento com o cliente

 

  1. Informar o cliente sobre o planejamento financeiro e as competências dos profissionais de planejamento financeiro.

O candidato deverá ser capaz de conhecer o processo e informar adequadamente o cliente a respeito do mesmo, e delimitar o escopo e atuação em razão de suas competências profissionais.

  • O profissional de planejamento financeiro informa o cliente sobre o processo de planejamento financeiro, a oferta de serviços envolvida, bem como as competências e experiência do planejador financeiro.

 

  • Detalhamento: Previamente ao compromisso com o cliente, o planejador financeiro ajuda o cliente a entender o processo deste planejamento, a natureza do compromisso e também fornece informações sobre suas qualificações profissionais. Estas informações podem incluir: como o planejamento financeiro pode ajudar o cliente e atingir objetivos; descrição da metodologia para a prestação do serviço de planejamento financeiro; e informações sobre as licenças necessárias, experiência e conhecimento do profissional. Em seguida o planejador financeiro informa o cliente sobre o serviço que presta, assim como sobre os encargos que o cliente assume.

 

  1. Determinar se o profissional de planejamento financeiro pode atender as necessidades do cliente.

 

O candidato deverá ser capaz de conhecer as formas de remuneração aceitas e praticadas, buscado um modelo aceitável para ambas as partes, para estabelecer uma relação profissional transparente e adequada com o cliente.

  • O profissional de planejamento financeiro e o cliente determinam se as competências do profissional e o serviço oferecido atendem às necessidades do cliente. O profissional deve considerar as suas habilidades, conhecimento e experiência na prestação dos serviços solicitados ou que possam ser exigidos pelo cliente. Na sequência, determina e revela eventuais situações de conflito de interesse.

 

  • Detalhamento: O profissional considera se ele e/ou sua equipe têm capacidade, habilidade e conhecimento adequados para atender às expectativas do cliente. Ele avalia se há algum conflito pessoal que pode afetar seu desempenho com o cliente, determina se há quaisquer outras circunstâncias, relacionamentos ou fatos que podem colocar os interesses do profissional de planejamento financeiro em conflito com os interesses do cliente, ou os interesses de um cliente em conflito com os de outro cliente. Em seguida, discute a confidencialidade das informações do cliente.

 

  • Definir o escopo da contratação.

 

O candidato deverá ser capaz de conhecer os direitos e responsabilidades do planejador financeiro, do cliente e de outros assessores envolvidos na elaboração do plano financeiro pessoal.

  • O profissional de planejamento financeiro e o cliente concordam sobre os serviços a serem prestados. O profissional descreve, por escrito, o escopo da contratação antes de prestar qualquer planejamento financeiro, acrescentando detalhes sobre: as responsabilidades de cada parte, incluindo terceiros, se houver; os termos da contratação, de remuneração e eventual conflito de interesse do profissional. O escopo do trabalho é definido por escrito, em um documento formal assinado por ambas as partes e inclui um procedimento de rescisão da contratação.

 

  • Detalhamento: A definição consensual do escopo da contratação estabelece expectativas realistas tanto para o cliente quanto para o profissional. As partes devem concordar que o escopo da contratação abrange um, vários ou todos os componentes de planejamento financeiro (Planejamento Financeiro, Investimentos, Gestão de Riscos e Seguros, Planejamento da Aposentadoria, Planejamento Tributário, Planejamento Sucessório).

 

Um documento escrito garante o entendimento mútuo e celebra um contrato entre o profissional de planejamento financeiro e o cliente sobre os termos da contratação dos serviços. Para tanto, este termo deve incluir os seguintes aspectos:

 

  • Serviços específicos a serem incluídos ou excluídos, tais como implementação e revisão;
  • Os mecanismos de remuneração do profissional relativos à contratação do serviço, incluindo honorários a serem pagos pelo cliente;
  • Conflitos de interesse existentes, incluindo os que envolvem remuneração por terceiros e concordância em revelar novos conflitos de interesse no decorrer do processo, se ou quando ocorrerem;
  • As partes específicas envolvidas na contratação, incluindo detalhes de quaisquer relacionamentos legais e de representação que possam existir;
  • Garantia de proteção da confidencialidade do cliente;
  • Duração da contratação;
  • As responsabilidades do cliente, incluindo completa e tempestiva transparência das informações;
  • As responsabilidades do profissional de planejamento financeiro;
  • Disposições para o encerramento da contratação pelo cliente; e
  • Procedimentos para resolver as demandas e denúncias do cliente contra o profissional de planejamento financeiro.

Informações adicionais que podem fazer parte do documento formal incluem:

  • A necessidade potencial de utilização de outros profissionais durante a contratação;
  • Explicação das qualificações, licenças e experiência de pessoas que trabalharão com o cliente;
  • Restrições específicas sobre o uso de informações do cliente; e
  • Quaisquer outras informações necessárias para informar o cliente adequadamente.

 

Circunstâncias podem alterar a capacidade do profissional de prestar serviços ao cliente ou o cliente pode decidir encerrar os serviços ou transferi-los a outro profissional. O profissional libera o cliente ou facilita a transferência do cliente para outro consultor de forma adequada.

 

 

1.2.2 Coletar as informações do cliente necessárias para elaboração de um planejamento financeiro (gestão financeira, gestão de investimentos, gestão de riscos e seguros, planejamento de aposentadoria, planejamento fiscal e sucessório)

 

  1. Identificar os objetivos pessoais e financeiros, as necessidades e as prioridades do cliente.

 

  • O candidato deverá ser capaz de identificar os objetivos pessoais e financeiros do cliente, suas necessidades e prioridades (objetivos de acumulação de capital, tais como geração de renda, aposentadoria, entre outros).

  • O profissional de planejamento financeiro e o cliente identificam os objetivos pessoais e financeiros, necessidades e prioridades do cliente que sejam pertinentes ao escopo da contratação antes de elaborar e/ou implantar quaisquer recomendações.

 

  • Detalhamento: O profissional deve entender claramente a atual situação, objetivos, necessidades e prioridades financeiras do cliente. O status dos objetivos financeiros do cliente determina, orienta e estruturava contratação do planejamento financeiro. O profissional auxilia o cliente no esclarecimento e priorização de seus objetivos de curto e longo prazo, e discute com o cliente o mérito e a viabilidade de quaisquer objetivos que pareçam ser inviáveis.

 

 

  1. Coletar informações quantitativas e documentos.

 

O candidato deverá ser capaz de coletar dados e processar informações qualitativas (perfil psicológico, disposição a assumir risco e propensões) e restrições específicas, visando à análise adequada do perfil do investidor (suitability), e sua capacidade de suportar perdas.

  • O profissional de planejamento financeiro coleta informações quantitativas e documentos suficientes sobre o cliente, relativos ao escopo da contratação, antes de elaborar e/ou implantar recomendações.

 

  • Detalhamento: O profissional deve coletar informações e documentos completos e precisos sobre o cliente, relativos ao escopo da contratação. Baseado em informações fornecidas pelo cliente e outras fontes, faz as recomendações apropriadas e comunica claramente ao cliente a importância da coleta de informações completas, atuais e precisas. O profissional deve respeitar a confidencialidade e salvaguardar os documentos do cliente. Se o profissional de planejamento financeiro for incapaz de coletar todas as informações necessárias para desenvolver e sustentar as recomendações, deverá discutir isso com o cliente, explicando como essas restrições afetam a contratação e o planejamento financeiro. Essas limitações às informações podem ocasionar a revisão do documento de contratação ou a rescisão da contratação.

 

  • Coletar informações qualitativas.

O candidato deverá ser capaz de coletar dados e processar informações quantitativas e documentos, visando à análise adequada. Bem como, coletar dados e processar informações de situações específicas, tais como: divórcio, invalidez, doença terminal, filhos com necessidades especiais, entre outras, visando à análise adequada. Por isso, vistas outras país.

  • O profissional de planejamento financeiro coleta informações qualitativas suficientes sobre o cliente, relativas ao escopo da contratação, antes de elaborar e/ou implantar quaisquer recomendações.

 

 

  • Detalhamento: O profissional de planejamento financeiro reúne informações para entender os valores, atitudes, expectativas e experiências financeiras do cliente. Isto inclui questionar o cliente e saber ouvir. Ele determina ainda o nível de sofisticação e de conhecimento financeiro do cliente. Estes aspectos são subjetivos e a interpretação do profissional pode ser limitada em razão das informações reveladas pelo cliente.

 

1.2.3 Análise dos objetivos, necessidades, valores e informações do cliente

 

  1. Analisar as informações do cliente.

  • “O profissional de planejamento financeiro analisa as informações do cliente, objeto do escopo da contratação, para obter compreensão de sua situação financeira.”
  • “Detalhamento: O profissional de planejamento financeiro analisa a atual situação e dados do cliente e trabalha conjuntamente com ele para resolver omissões evidentes e/ou inconsistências nas informações coletadas”. Como parte desta análise, utiliza premissas especificadas pelo cliente, mutuamente acordadas para os seus objetivos ou outras premissas utilizadas. Essas informações podem incluir a idade de aposentadoria, expectativa de vida, necessidades de renda, fatores de risco, horizonte de tempo e necessidades especiais do cliente, bem como premissas econômicas, tais como taxas de inflação, taxas de impostos e retornos de investimento.

 

  1. Avaliar os objetivos, necessidades e prioridades do clientes:

O candidato deverá ser capaz de Avaliar os objetivos, necessidades, e prioridades do cliente. Avaliar compatibilidade entre objetivos x riscos x situação patrimonial. Bem como, analisar o perfil do cliente (suitability): identificar o perfil de risco do cliente e, em função de seus objetivos, horizonte de investimento e expectativas de retorno, avaliar todas essas informações para formular uma estratégia adequada de investimentos. E, analisar e avaliar os tipos de risco aos quais o cliente está exposto.

  • O profissional de planejamento financeiro avalia os pontos fortes e fracos da atual situação financeira do cliente e compara-os com os objetivos, necessidades e prioridades do cliente.
  • Detalhamento: O profissional considera as oportunidades e restrições apresentadas pela situação financeira e o atual plano de ação do cliente e determina a probabilidade de o cliente atingir os seus objetivos, prosseguindo com as atividades atuais ou fazendo mudanças antecipadas. O profissional pode identificar outras questões que podem afetar a capacidade do cliente de atingir seus objetivos, o que deve ser discutido em conjunto. Pode ser apropriado alterar o escopo da contratação e/ou obter informações adicionais.

Doutor em Economia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Pelotas. É economista, especializado em Finanças pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atuou como Analista e Controller. Pesquisa efeitos spillover e herd behavior no mercado de ações. Produz estudos sobre basis risk no mercado de derivativos.
Esqueceu a senha?
Perdeu sua senha? Digite o seu nome de usuário ou endereço de e-mail. Iremos enviar um link de recuperação para o seu e-mail.
We do not share your personal details with anyone.