Gestão de Carteiras – Análise Técnica x Fundamentalista

Uma ferramenta frequentemente utilizada é a análise técnica e de tendências. A análise técnica se refere ao estudo de dados históricos do mercado, o que inclui preço e volume. Utilizando tanto fundamentos da economia comportamental quanto de análise quantitativa, os analistas técnicos buscam utilizar o desempenho passado para prever o comportamento futuro do mercado. As duas formas mais comuns de análise técnica são padrões gráficos e indicadores técnicos. Além disso, a análise técnica de ações e tendências tem sido utilizada há décadas. Por exemplo, na Europa, há registros da utilização da análise técnica com o objetivo de prever os movimentos no mercado holandês no século XVII.

O princípio fundamental subjacente à análise técnica é que o preço de mercado reflete toda a informação disponível que poderia impactar o mercado. Como resultado, não há necessidade de analisar desenvolvimentos econômicos, fundamentais ou novos, já que eles já estão precificados no preço de qualquer ativo. Adicionalmente, analistas técnicos acreditam que os preços se movem em tendências e que a história tende a se repetir quando se trata da psicologia geral do mercado.

Os padrões gráficos são uma forma subjetiva de análise técnica na qual o analista procura identificar áreas de suporte e resistência em um gráfico, observando padrões específicos. Esses padrões, sustentados por fatores psicológicos, são projetados para prever aonde os preços estão indo após a ruptura ou quebra de um determinado ponto de preço e tempo. Por exemplo, um padrão de gráfico de triângulo ascendente é otimista e mostra uma área chave de resistência, sendo que um rompimento dessa resistência pode levar a um movimento significativo e de alto volume, bem como elevar o preço a níveis ainda mais altos. Já os indicadores técnicos são uma forma estatística de análise técnica em que os técnicos aplicam várias fórmulas matemáticas a preços e volumes. Entre os indicadores técnicos mais comuns há as médias móveis, as quais suavizam os dados de preços para facilitar a identificação de tendências. Já os indicadores técnicos mais complexos incluem a convergência ou divergência da média móvel, ou MACD, que examina a interação entre várias médias móveis. Além disso, diversos sistemas de negociação são baseados em indicadores técnicos, pois podem ser calculados quantitativamente.

A análise fundamentalista é o método de avaliar um ativo de forma a medir seu valor intrínseco, examinando fatores econômicos, financeiros e outros fatores qualitativos e quantitativos relacionados. Os analistas fundamentais estudam qualquer aspecto que possa afetar o valor do ativo, o que inclui fatores macroeconômicos e microeconômicos. O objetivo final da análise fundamental é produzir um valor quantitativo que posso ser comparado com o preço atual de um título, indicando, assim, se esse título está desvalorizado ou supervalorizado.

A análise fundamental determina a saúde e o desempenho de uma empresa subjacente, observando os principais números e indicadores econômicos. Seu objetivo é identificar empresas ou indústrias com fundamentos fortes, bem como aquelas fundamentalmente fracas. Nesse contexto, os investidores podem ficar comprados nas empresas que estão bem avaliadas e tomar posições vendidas naquelas que apresentam desempenho fraco segundo a análise. Esse método de análise pode ser considerado o oposto da análise técnica.

A análise fundamentalista usa dados públicos na avaliação do valor do ativo. Embora a maioria dos analistas utilize essa análise para avaliar ações, esse método de avaliação pode ser aplicado a praticamente qualquer tipo de ativo. Por exemplo, um investidor pode realizar uma análise fundamentalista do valor de um título privado de renda fixa, analisando fatores econômicos, como as taxas de juros e o estado geral da economia. Também pode consultar informações sobre o emissor de uma debênture, como possíveis mudanças nas classificações de crédito. No caso de ações e instrumentos patrimoniais, a análise fundamentalista utiliza receitas, lucros, crescimento futuro, retorno sobre o patrimônio, margens de lucro, etc. para determinar o valor subjacente de uma empresa e seu potencial de crescimento futuro.

Em termos de ações, a análise fundamentalista concentra-se nas demonstrações financeiras da empresa que está sendo avaliada. Nesse contexto, um dos analistas fundamentais mais famosos e bem-sucedidos é Warren Buffett, que é bem conhecido por empregar eficientemente análises fundamentais para escolher seus investimentos.


Você não está logado!
Para ter acesso ao curso, .
Doutor em Economia pela Universidade Federal de Santa Catarina e mestre em Economia Aplicada (quantitativa) pela UFPEL. É economista, especializado em Finanças pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atuou como Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD), Analista e Controller. Pesquisador com publicações científicas internacionais sobre efeitos spillover e herd behavior no mercado de capitais. Autor de 7 livros.

Pressione F11 para tela cheia
Insira no mínimo 3 caracteres.
Nenhum resultado.