Agente Autônomo de Investimentos e empreendedorismo no mercado de capitais

agente autônomo de investimentos

Agente Autônomo de Investimentos

Em princípio, o mercado de capitais é por natureza uma abundante fonte de possibilidades financeiras. Apesar disso, por mais que o pareça óbvio desde sempre, é possível empreender indicando investimentos e portfólios. Em resumo, isso é possível a partir da obtenção do certificado de Agente Autônomo de Investimentos, emitido pela Ancord.

Pois bem, considerando a natureza da função básica de um agente autônomo – intermediar a comercialização de produtos de investimento entre instituições financeiras e investidores – podemos entender que o agente autônomo de investimentos formará a sua carteira de clientes lançando mão de habilidades de alguém que gerenciará a sua própria fonte de renda.

Portanto, isso é ser um empreendedor. Uma vez que, com seus próprios meios, constrói sua carteira de clientes e por ela é remunerado. Assim, quanto mais aumenta a sua lista e a qualidade dos clientes, proporcionalmente, aumentará a sua renda.

Remuneração difícil de definir porque é “quase infinita”

Por certo, é difícil definir com precisão uma remuneração praticada no mercado para esse profissional. Embora, algumas fontes especializadas estabeleçam uma média próxima de 20 mil reais, após 12 meses de atuação.

De fato, a prova de que as possibilidades de ganhos para o assessor de investimentos, que é o mesmo AAI, são imensuráveis. Em resumo, isso é possível ser observado na atual guerra que está sendo travada entre corretoras e fintechs. Já que, existe uma disputa por agentes autônomos, que sejam capazes de atrair investidores milionários aos portfólios dessas casas financeiras.

Escolha entre as muitas possibilidades

Por exemplo, no empenho de atrair agentes qualificados, bancos privados como o BTG Pactual – o qual ocupa a terceira posição na classe de bancos nacionais sem rede de agências, configurando uma estrutura de asset light business, como o Uber – , está tentando atrair agentes autônomos de investimentos com um conjunto de vantagens profissionais e uma das maiores remunerações do mercado.

Embora, o vínculo com uma instituição possa indicar a inviabilidade de uma atividade empreendedora existe outra situação. Em contrapartida, como você sabe, todo profissional do mercado financeiro (mesmo que denominado autônomo), precisa ligar-se a uma corretora por uma questão legal. Contudo, isso não apenas assegura as atividades do profissional, mas também pode estimulá-lo a alcançar grandes resultados.

Exemplo de empreendimento para agente autônomo

Como exemplo, demonstramos a Veedha. Um escritório constituído por 31 assessores – ou também agentes autônomos, de modelo partnership (aquele tipo de negócio constituído por vários sócios) – que estimulado por sua corretora XP Investimentos, obteve o prêmio “escritório destaque” do Brazil Advisor Awards, ligado ao evento Expert XP. Além disso, o escritório tem se tornado notório por resultados excelentes na forma de R$ 2,5 bilhões em portfólio, ao longo de menos de 24 meses.

Boas notícias para agentes autônomos de investimentos

Nesse sentido, são bons os tempos para agentes autônomos, especialmente para brasileiros. Pois, segundo a Comissão de Valores Mobiliários – CVM, o número de profissionais aumentou 17% em 2018, alcançando a marca total. Entretanto, são apenas 7.745 certificados pela Ancord.

Então, você achou que é muito? Bem, nos Estados Unidos, os chamados “financial advisor”, estão na casa dos 1,5 milhão. Saiba que, contam ainda com uma projeção de 32% de crescimento e alguns deles chegam a faturar US$ 1 milhão por ano. Tudo isso, segundo dados da CNN Money.

O que esses números indicam? Claramente, que o mercado para agentes autônomos tem muito para crescer em nossa terra.

É só o começo para quem quer ser agente autônomo

Sobretudo, considerando também a mudança de comportamento do brasileiro nos últimos anos em relação às fontes de renda, à previdência, aos conceitos de enriquecimento, à obtenção de patrimônio e investimentos. Desse modo, é possível perceber que cada vez mais pessoas dependem de instituições financeiras. Consequentemente, estas precisam contratar mais pessoal qualificado. Assim sendo, podemos concordar com o que alguns jornais dedicados a assuntos de finanças têm dito: a profissão de agente autônomo é a “carreira do futuro”.

Sem dúvida, liberdade, prestígio, alto rendimento e segurança podem ser os benefícios alcançados por quem deseja ser um agente autônomo de investimentos. Tudo o que você precisa ter ou aprender são as habilidades técnicas e sociais. Com efeito, só precisa comprová-las através da obtenção do certificado Ancord. De tal sorte que, não precisa ter formação em nível superior.

Quer saber mais sobre a certificação ANCORD? Confira o vídeo que fizemos

Leia mais sobre a certificação Ancord

Pedro Kallel: da aprovação à sociedade na Manhattan Investimentos [Case de Sucesso]

Quer trabalhar com investimentos? O que faz o analista, assessor e broker

Infográfico: o papel do assessor de investimentos no mercado financeiro

Agente autônomo de investimentos: 4 dicas para ter sucesso na carreira

Agente Autônomo de Investimentos – Guia completo sobre AAI

Ancord – O Que Você Precisa Saber Sobre o Assunto

 

Conheça o nosso curso preparatório

agente autônomo de investimentos

Cursos que você pode gostar:

Ainda não há comentários! Você será o primeiro a comentar.

Deixe suas dúvidas e comentários. Responderemos o mais breve possível.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *